Barbara Woodhead Winder

    2 May 2019

    Décima primeira presidente geral
    da Sociedade de Socorro

    1984–1990

    Quando Barbara W. Winder foi chamada para ser a décima primeira presidente geral da Sociedade de Socorro, ela disse: “Quero e desejo que tenhamos união, que nos unamos ao sacerdócio, servindo e edificando o reino de Deus aqui e agora, espalhando a alegria do evangelho aos que tanto necessitam dele. Este é Seu reino. Temos a grande responsabilidade de compartilhá-lo”.1

    A controvérsia a respeito da Emenda dos Direitos Iguais dos anos 70 tinha dividido as mulheres americanas. Os anos 80 trouxeram mais tolerância. “O momento é de cura”, disse a irmã Winder, “um momento de unir as mulheres e de uni-las aos homens. Podemos ter união na diversidade e diversidade na união. Não precisamos ser iguais umas às outras para desfrutar de irmandade”.2

    Barbara aprendeu cedo, por experiência própria, o valor das visitas de professora visitante da Sociedade de Socorro e como a ênfase em servir umas às outras poderia abençoar a vida das irmãs. Seu primeiro filho nasceu quando ela tinha 11 meses de casada. “Um dia, logo após termos trazido o bebê para casa”, contou ela, “tive uma febre muito alta. Richard estava trabalhando. Eu não tinha carro nem telefone e estava apavorada”. Felizmente, as professoras visitantes passaram em sua casa e puderam dar a ela a ajuda necessária.3

    “É vital que toda irmã tenha professoras visitantes, para fazê-la sentir-se necessária, sentir que alguém a ama e se preocupa com ela. Mas, igualmente importante, é a capacidade que a professora visitante tem de aumentar sua caridade. Ao darmos às mulheres o encargo de ser professoras visitantes, também damos a elas a oportunidade de desenvolverem o puro amor de Cristo, que pode ser a maior bênção da vida delas”.4

    Infância

    Barbara Woodhead nasceu em 9 de maio de 1931 em Midvale, Utah, filha de Marguerite Hand e Willard Verl Woodhead. Ela era a mais velha dos quatro filhos do casal. Como sua mãe precisava trabalhar, muitas vezes ela tomava conta dos irmãos. Barbara dá aos pais o crédito de ter aprendido compaixão, pois eles acolheram familiares em casa e cuidaram deles quando ela era jovem. Embora seus pais só tivessem se tornado ativos na Igreja quando ela já era adulta, ela sempre quis ir à igreja e os pais a incentivavam. Uma professora da Primária a levava à igreja e levou-a também ao seu batismo.5

    Casamento e família

    Barbara estava cursando economia doméstica na Universidade de Utah quando conheceu Richard William Winder. Ficaram noivos menos de três semanas depois e casaram-se em 10 de janeiro de 1951 no Templo de Salt Lake. Dezenove primos moravam na mesma rua em que os Winders criaram seus quatro filhos. “Era realmente uma fonte de força termos uns aos outros”, disse ela.6 A segunda filha do casal, Susan W. Tanner, serviu como décima segunda presidente geral das Moças.

    Destaques da Sociedade de Socorro

    Durante a administração de Bárbara, as líderes gerais das Moças e da Primária mudaram seu escritório para o Edifício da Sociedade de Socorro. As auxiliares não iriam mais trabalhar separadas, mas juntas, sob a liderança do sacerdócio, a fim de atender às necessidades das crianças, das jovens e das mulheres adultas da Igreja. As presidentes das auxiliares viajaram juntas para outros países pela primeira vez. Em situações difíceis, cartas e telefonemas foram aceitos como métodos de cumprir o trabalho das professoras visitantes.

    Barbara foi desobrigada como presidente geral quando o marido foi chamado para ser presidente da Missão Praga Tchecoslováquia de 1990 a 1993. Os Winders serviram como líderes dos missionários do Centro de História da Família e, mais tarde, como os primeiros presidente e diretora do Templo de Nauvoo Illinois de 2002 a 2004.