Emmeline B. Woodward Wells

    1 May 2019

    Quinta presidente geral
    da Sociedade de Socorro

    1910–1921

    Emmeline B. Wells, quinta presidente geral da Sociedade de Socorro, tinha um testemunho de que a Sociedade de Socorro tinha sido organizada por revelação. “Declaramos”, disse ela, “que é nosso propósito manter o nome original e o espírito e propósito iniciais desta grande organização, apegando-nos aos ensinamentos inspirados do profeta Joseph Smith, quando ele revelou o plano pelo qual as mulheres receberiam poder por meio do chamado do sacerdócio para se reunirem em organizações adequadas, com a finalidade de ministrar aos enfermos, auxiliar os necessitados, confortar os idosos, alertar os incautos e socorrer os órfãos”.1

    Em 1876, o presidente Brigham Young encarregou Emmeline do programa de armazenamento de cereais no qual as irmãs da Sociedade de Socorro trabalharam em conjunto para obter cereais e armazená-los. Com o passar dos anos, as irmãs da Sociedade de Socorro puderam compartilhar seu trigo com os necessitados. Entre os beneficiados estavam as vítimas da seca no sul de Utah, os sobreviventes de um terremoto na Califórnia e chineses que passavam fome.2 A Sociedade de Socorro também vendeu mais de 7.000 m³ de trigo para o governo dos Estados Unidos durante a Primeira Guerra Mundial.3

    Emmeline sabia que havia muito o que aprender com as primeiras irmãs da Sociedade de Socorro. “[Meu] maior desejo é que nossas moças de hoje compreendam o trabalho das primeiras irmãs que, sem as facilidades dos tempos atuais, consolaram os tristes e angustiados, visitaram a viúva e o órfão, e eram como anjos ministradores”, disse ela.4

    Para captar as origens inspiradas e os princípios fundadores da sociedade, a irmã Wells e suas conselheiras escolheram a declaração contida nas escrituras “A caridade nunca falha”5 para ser o lema da Sociedade de Socorro. O lema tornou-se especialmente significativo quando, poucos anos depois desse anúncio, teve início a Primeira Guerra Mundial. Durante essa época, as irmãs atenderam ao apelo de Emmeline por caridade, mostrando bondade para com amigos e inimigos, sendo voluntárias em trabalhos comunitários e buscando o puro amor de Cristo.

    Infância

    Emmeline Blanche Woodward nasceu em 29 de fevereiro de 1828, filha de David e Diadama Hare Woodward de Petersham, Massachusetts. Ela foi a sétima dos filhos do casal. Era, sem dúvida, uma jovem inteligente, que aspirava tornar-se escritora e a única dos filhos do casal que estudou em escola particular. Formou-se em magistério. Aos 14 anos, filiou-se à Igreja. Sua mãe e irmãs mais novas também aceitaram o evangelho.

    Casamento e família

    Emmeline casou-se com James Harvey Harris em 29 de julho de 1843. O casal mudou-se para Nauvoo, onde faleceu o primeiro filho. James saiu para procurar trabalho e não voltou, e ela teve que ganhar a vida lecionando. Em 17 de fevereiro de 1845, tornou-se uma das esposas de Newel K. Whitney e tempos depois atravessou as planícies com sua família. Quando o bispo Whitney morreu em 1850, Emmeline teve novamente que levar a vida sozinha. Mais uma vez, ela voltou a lecionar. Em 10 de outubro de 1852, tornou-se a sétima esposa de Daniel H. Wells. Teve cinco filhas, sendo que viveu mais do que duas delas. Emmeline faleceu em 29 de abril de 1921.

    Serviços mais significativos

    Emmeline foi uma das maiores líderes na luta pelo direito de voto das mulheres de Utah, que englobava a liberdade religiosa. “Desejo fazer tudo o que estiver em meu poder para elevar a condição de meu povo, especialmente a das mulheres”, escreveu ela.6 “Desejei do fundo do coração realizar coisas que fariam as mulheres progredir moral e espiritualmente, e em seu trabalho educacional, ajudando a fazer a obra de Deus progredir na Terra.”7 Em 1877, Emmeline tornou-se editora do Woman’s Exponent, um jornal escrito para beneficiar as mulheres da Igreja. Ela fez com que sua voz e a das mulheres da Igreja fossem ouvidas em todo o país por 37 anos. Emmeline tinha 82 anos de idade quando foi chamada para ser presidente geral da Sociedade de Socorro. Ela serviu por 11 anos, até pouco antes de sua morte.